Por aí

Conheça a nova operação da joalheira Saint Vetsky em Porto Alegre

Escrito por  | 

Uma das experiências mais arrebatadoras do cotidiano é ver algo que foi projetado e idealizado, enfim, se materializar na sua frente. É o prazer de criar — ou cocriar, neste caso. E é isso que Porto Alegre ganhou com a abertura ao público da Joalheira Saint Vetsky, no Pátio 24 (Rua 24 de outubro, 1454 – Auxiliadora). A operação, que conta com cerca de 40 metros quadrados, teve investimento de R$ 300 mil — apenas para a estrutura, sem contar as peças — e nasceu com a proposta de proporcionar uma experiência diferenciada e exclusiva para o público. E isso vai desde o cenário e o ambiente intimista ao protagonismo que a empresa dá ao cliente em sua jornada de compra.

Marcelo e Sabrina Santafé – Por Diego Larré

Liderada pelos irmãos Marcelo e Sabrina Santafé, a nova operação da Saint Vetsky é um movimento que nasceu ainda em 2019, quando eles procuraram a empresa Duck Desing e Estudio para realizar o branding da marca. Desde 2012 a dupla atua no segmento, quando fundaram a Masate Joias, com peças de fornecedores e atendimento exclusivamente pela internet e venda direta. Quando passaram a investir em peças exclusivas e próprias, bem como em peças mais luxuosas, de ticket mais alto, ficou clara a necessidade de dividir a operação e dar foco a um público diferenciado, surgindo assim a Saint Vetsky. O resultado dessa divisão é a inauguração da nova loja.

“Identificamos que era difícil comunicar para diversos tipos de persona em um único ambiente. Por isso, dividimos a empresa entre a Masate, para joias de fornecedores para o dia a dia, e Saint Vetsky, para apresentar peças autorais e outras de fábricas mais sofisticadas a um público com ticket mais alto. Aqui temos a oportunidade de dar um atendimento ao cliente de forma diferente do que o mercado gaúcho geralmente apresenta”, explica Marcelo.

Ainda que muitas empresas utilizam dessa máxima, o grande diferencial Saint Vetsky é o atendimento e, principalmente, o pós-venda — algo geralmente deixado de lado no segmento de joias no estado. E isso vai desde limpeza a reposição de peças, assim como ajuste de numeração. A ideia é ter um relacionamento contínuo com os clientes.

Todavia, não é apenas o pós-venda que se destaca na operação da Saint Vetsky. A jornada do cliente é essencial. Tanto é que a operação conta com dois tipos de atendimentos: a exposição tradicional das peças , mas também um ambiente mais intimista, como se fosse um atelier em que o cliente pode pensar junto ao Marcelo, um dos donos da marca, que define os desejos do cliente e, depois, desenvolve a Joia com um designer parceiro responsável por desenhar as joias da marca, como será a peça exclusiva.

“No desenvolvimento das peças autorais, o cliente participa de todo o processo. Desde o rascunho, passa pelas adaptações dos renders até a aprovação da peça e da gema. É um processo que faz o cliente ter protagonismo no desenvolvimento do produto final”, conta Sabrina.

Ainda que todo novo empreendimento precise de tempo de maturação e o objetivo seja o de fixar a marca no imaginário do consumidor nesse primeiro ano e aumentar o estoque e a produção de peças autorais, a dupla está confiante. “Entendemos o contexto da pandemia, mas acreditamos que existe espaço para a empresa, pela diversidade das peças e pela excelência do atendimento. Nossa expectativa é recuperar o investimento em até 18 meses”, avalia Marcelo.

Processo de produção da Saint Vetsky

O grande foco da Saint Vetsky está nas joias exclusivas. O propósito da empresa, nesses casos, é dar vida às ideias e sonhos dos clientes. “Já fizemos Joias com o brasão da família, com a marca do cliente, com suas iniciais e, até mesmo, com uma ideia descrita verbalmente pelo comprador baseada em uma lembrança. Anéis de noivado com alguma característica especial que supra o desejo ou remeta à algum momento vivido pelo casal foram inúmeros”, explica Sabrina.

Essas joias personalizadas se caracterizam por trazerem ao cliente não só exclusividade e beleza, mas muita personalidade. O processo de produção varia muito. A partir da descrição do cliente de sua ideia, diferentes caminhos são seguidos conforme o caso. Em casos em que uma Gema Preciosa em especial será utilizada, por exemplo, primeiramente é feita a curadoria da Gema pelo Marcelo, uma vez que elas não seguem tamanho e formato padrões. Apenas depois é desenvolvido o desenho da Joia em 3D (render). Nos outros casos, o render já é feito de início. Esse render inicial, baseado no que foi solicitado pelo cliente, é apresentado ao cliente, que dá sua opinião sobre o resultado e sugestões sobre alterações que ache conveniente. Esse render é então refeito e passa novamente pela aprovação final do cliente.

“O mais incrível desse processo de criação é que o cliente, ao participar ativamente do mesmo, já cria uma história e um sentimento especial sobre aquela joia, além da previsibilidade de resultados que esse processo oferece”, analisa Marcelo.

A partir da aprovação final do projeto, diferentes técnicas de produção são utilizadas conforme a necessidade de cada caso. Um misto de técnicas modernas (impressora 3D, corte a laser etc) e artesanais tradicionais são aplicadas intercaladamente e em sequências, o que assegura um resultado final de altíssima qualidade.

Saint Vetsky

Onde: Pátio 24 (Rua 24 de outubro, 1454 – Auxiliadora, Porto Alegre)
Atendimento: de segunda-feira a sábado, das 11h às 19h;
Telefone: (51) 2160-7877
Rede Social: @saintvetsky

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *