Por aí

Entrevista com Paulo Gasparotto

Escrito por  | 

Hey, amores!

Há pouco tempo publiquei aqui no blog uma matéria falando sobre o novo portal do jornalista gaúcho Paulo Gasparotto. Lançado em celebração aos 50 anos de carreira do Paulo, o portal reúne as notícias do que ocorre de mais bacana na vida social porto-alegrense.

Pois hoje trago aqui uma entrevista que fiz com ele sobre essa nova fase na carreira, a trajetória no jornalismo e as lições aprendidas ao longo da vida. Ah, e lembrando que no mês de abril irá ser lançada uma mostra sobre a carreira de Gasparotto na imprensa, com curadoria de Paula Ramos. Aguardem mais infos em breve!


 

Como surgiu a ideia de lançar um Portal pessoal de notícias sociais?

Cada momento é diverso do anterior. Comecei martelando numa máquina de escrever, depois numa elétrica…. e agora no computador. Deixei o papel com um aperto no coração, hoje estou solto e feliz na internet. São as mudanças que nos ensinam, ou não, a viver.

 

O que os leitores podem esperar desse novo espaço?

Tudo o que sempre fiz, porém devidamente adequado ao modismo do momento. Isto é, aceito “a espetacularização da banalidade” que maioria comete sem remorso de mostrar a escova de dente e a marca do dentifrício. Mantenho os meus parâmetros, sem desrespeitar os alheios.

 

Tu podes comentar alguns fatos marcantes para ti desses mais de 50 anos de carreira?

Entre muitos, o baile que  coordenei no Theatro São Pedro, nos moldes dos realizados no século XIX. Outro fato marcante: dirigir, juntamente com Norton Fernandes e Elias da Rosa, o leilão em benefício das obras de recuperação do mesmo teatro e conduzidas por Eva Sopher. O leilão foi realizado lá mesmo no teatro com a presença de muita gente interessada em revitalizar a casa que é um dos símbolos da cultura gaúcha.

 

O que te faz ter vontade de continuar atuando na comunicação hoje?

É o que faço há cinco décadas, que estão sendo festejadas com duas exposições: uma no shopping Iguatemi, inaugurando dia 4 de abril, e a outra no Santander Cultural, que poderá ser visitada a partir de 18 de abril. Ambas com curadoria de Paula Ramos e uma equipe dedicada e de muito talento. Trabalho desde muito cedo e gosto de trabalhar, isto significa que se tiver que mudar de “ramo”, farei com o mesmo entusiasmo que sempre me fez ir à luta.

 

Quais lições tu aprendests cobrindo há tanto tempo os eventos sociais do Rio Grande do Sul?

Vou repetir a opinião de um padre confessor da resistência francesa durante a segunda guerra mundial, respondendo pergunta a respeito das diferenças dos grupos sociais: todos têm sonhos de brilhar, aparecer e ilusões com os fatos da vida. Isto significa que podemos colaborar com gente de talento e com valores reais, além de movimentar o grande giro do mundo.

 

A que tu creditas tua trajetória sólida e duradoura na comunicação e no colunismo social?

Muito trabalho, trabalho, trabalho e mais trabalho. Sou muito grato a aqueles que me auxiliaram colaborando no meu trabalho, pois nada é feito sozinho.

 

Quais teus próximos planos profissionais?

Pretendo prosseguir com o site, face, ou seja, o que for.  Caso apareça, assumir outras atividades. Vontade de parar? Só se for morar na Praia da Pipa, Rio Grande do Norte, na Toca da Coruja ou numa pequena casa junto ao mar.

2 Comments

  1. anna luiza Medeiros

    23 de Março de 2017 at 18:07

    Ótima entrevista !
    Traz toda a capacidade de permanente atualização. Deste profissional ímpar ! Parabéns

  2. Júlia Fleck

    27 de Março de 2017 at 15:33

    Obrigada, Anna!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *