Pet Friendly

Como ajudar animais em situação de abandono

Escrito por  | 

Sou apaixonada por animais, tenho vários e sempre que posso tento ajudar aqueles que não têm dono. Sou irmã de dois gatinhos adotados, inclusive, o Muki (de Mukirana hehe) e a Beta Bú. Olha os dois aí embaixo:

IMG_8402
Resolvi então fazer esse post falando sobre algumas formas de auxiliar os bichinhos em situação de abandono. Ao final, indicarei algumas ONGs de Porto Alegre e região metropolitana que se dedicam à causa animal e que vale a pena acompanhar. Existem diversas organizações que não conheço, mas que também devem fazer um excelente trabalho. É só escolher a que mais lhe agrada e contribuir de alguma forma 🙂

COMO AJUDAR?

Há diversas formas de ajudar as ONGs de animais. Você pode adotar, doar ração, medicamentos, caminha, casinhas, caixas de transporte, cobertores (com as temperaturas baixando, esse é um item essencial para os abrigos de animais!), roupinhas etc. Também é possível trabalhar como voluntário nesses locais, auxiliando no cuidado com os bichinhos abrigados e na manutenção da estrutura do abrigo.

Bolacha

Para adotar a bolacha, mande e-mail para anelise.boll@gmail.com. Foto: Bicho de Rua

Outra forma muito bacana de ajudar é apadrinhando um ou mais cachorros e/ou gatos abandonados. A maioria das ONGs possui esse sistema de colaboração, em que você deposita, todo mês, um valor para custear as despesas com ração, castração e tratamentos médicos de alguns animais. Empresas também podem oferecer apoio financeiro para as ONGs e, com isso, tornarem-se parceiras da causa animal.

13123052_1444250718933991_7329056679635296007_o

Para adotar a Thêmis, mande um e-mail para adocoes@patasdadas.com.br Foto: Patas Dadas

Ajudar disponibilizando uma casa de passagem para cães e gatos em situação de vulnerabilidade é uma opção. Você abriga o animalzinho e fica responsável por ele até que alguém o adote. É uma baita ajuda, principalmente se levarmos em conta que a maioria das ONGs possui espaço limitado e está sempre com a ocupação máxima de animais.

É muito importante lembrar que as organizações de ajuda de animais abandonados não são depósitos de bichos. Muita gente procura esses lugares para deixar um cão ou um gato que não quer mais. Isso não é correto e se caracteriza como abandono, que é crime previsto em lei. As ONGs não recolhem esses animais. Se você adotar, esteja consciente de que é uma responsabilidade que irá durar enquanto o seu animalzinho viver. É comum as pessoas adotarem em alguma feira e devolverem o animal para a ONG depois de algum tempo, alegando que se arrependeram, que o bichinho não se adaptou etc. Tal atitude representa sofrimento para o animal, portanto só adote se você tiver certeza de que irá cuidar até o fim, com todo amor e carinho, desse novo amigo.

13138910_1206272999396931_7560427855053506978_n

Ainda em relação à conscientização, sempre que possível adote um animal e evite comprar por motivo de raça. Há muitos bichinhos abandonados esperando por uma família, então por que não fazer um deles feliz? Assim você estará contribuindo para diminuir a população de rua e também estará abrindo espaço no abrigo para que outros animais em situação de vulnerabilidade sejam acolhidos. Toda ação possui consequências, portando sempre é válido pesar qual escolha causará menos impacto negativo na sociedade em que vivemos. Leve isso em consideração quando estiver com vontade de comprar um animalzinho 😉

Além de todas essas ações, você também pode ajudar compartilhando as informações, postagens de adoção e eventos de arrecadação que as ONGs organizam regularmente. As redes sociais são ferramentas poderosas e quanto mais gente se conscientizar em relação ao abandono de animais, melhor. Se você presenciar alguma situação de maus-tratos ou de abandono de animais em Porto Alegre, denuncie: disque 159, opção 9. No site da Secretaria Especial dos Direitos Animais (SEDA), há diversas informações de como proceder de acordo com o caso, vale conferir.

13103267_1093073877404930_6556402745283564342_n

Para adotar a Baixinha, mande e-mail para sara@projetoanjosdepatas.com.br. Foto: Projeto Anjos de Patas


ONGs DE PORTO ALEGRE E REGIÃO METROPOLITANA

Preparados para dar uma mãozinha para a causa animal? Qualquer ajuda para esses lugares é bem-vinda!

 

101 vira latas (Viamão)
Screenshot 2016-05-10 15.00.39

 

 

 

ONG que abriga e cuida de animais abandonados ou em situação de risco da região metropolitana de Porto Alegre, à espera de quem os adote e acolha como parte da família. Cuidam de uma população de mais de 500 animais, entre cães, gatos e cavalos.

Como ajudar: http://www.101viralatas.com.br/home/content.aspx?t=2&item=4

 

 

Anjos de Patas (Viamão)
Screenshot 2016-05-10 15.02.36

 

 

 

 

 

Organização não-governamental, sem fundos lucrativos, que dá abrigo a aproximadamente 400 cães, que recebem alimentação e cuidados diários. Resgatam cães em situação de abandono e maus-tratos, fornecem tratamento, castram e realizam campanhas de adoção, foco do trabalho de resgate.

Como ajudar: http://www.projetoanjosdepatas.com.br/comoajudar/

 

 

Patas Dadas (Porto Alegre)
patas

 

 

 

 

 

 

 

O Patas Dadas surgiu em resposta a uma série de maus tratos que aconteceram em um Campus da UFRGS em 2009. Alguns estudantes se uniram para mudar essa realidade e, aos poucos, o número de voluntários foi crescendo. Em 2011, o Patas Dadas tornou-se uma Ação de Extensão da UFRGS e em 2015, uma Associação sem fins lucrativos. No dia 15 de maio, das 14h às 18h, na Praça da Encol, eles realizam o “2º Vira Lata, Vira Encontro”, para arrecadar dinheiro e ração para os animais. Haverá diversas atividades e vendas de produtos no local.

#Dica: os animais abrigados pelo Patas possuem uma vida ativa nas redes sociais. Vale seguir o instagram deles, é a coisa mais amor!! Siga @Jinx_musadopatas, @Meridadopatas, @caodeflocos, @oakdopatas, @baby.lovers1, @patascoolestdog e @mirtisdopatas. Todos esses estão para adoção.

Como ajudar:  http://www.patasdadas.com.br/como-ajudar

 

 

Bicho de Rua
10364054_698771926835325_8948541784316727870_n

 

 

 

 

 

 

O Projeto Bicho de Rua foi fundado em 2004 por um grupo de amigos que, já trabalhando voluntariamente na causa de proteção, apoio e promoção do bem-estar animal, decidiu juntar forças e potencializar essa atividade. Eles não possuem abrigo para animais, portanto não recolhem animais abandonados. O objetivo principal é trabalhar nas causas da superpopulação e abandono, priorizando a esterilização como forma de controle populacional, estimulando a adoção sem preconceito e a guarda responsável.

Como ajudar: http://www.bichoderua.org.br/2k8/pt-br/como_ajudar/

 

 

Chicote Nunca Mais
1526792_690492371039949_1917964930401272618_n

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi fundada em 2008 por Fair Soares, que se motivou a criar a ONG após presenciar uma égua morrer depois de uma vida de trabalho escravo, e ainda ser chicoteada quando estava caída no asfalto de uma movimentada avenida de Porto Alegre/RS.A ONG é formada por pessoas tecnicamente habilitadas com extensa trajetória em frentes de libertação animal. No santuário, que fica na região metropolitana de Porto Alegre/RS, abriga dezenas de equinos sob sua tutela, sem nenhum recurso público. Estes animais, após serem recuperados, são encaminhados para fiéis depositários: pessoas que se comprometem a seguir o protocolo de cuidados da ONG e poderão ficar com a guarda do cavalo por tempo indeterminado.

Como ajudar: http://www.chicotenuncamais.org/

 

Plataforma Bicharia
Bicharia

 

 

 

 

 

 

O Bicharia é uma plataforma de financiamento coletivo (crowdfunding) que tem foco exclusivo em projetos que envolvam animais carentes. Ela permite que pessoas, entidades e associações consigam financiamento para realizar seus projetos. É possível ajudar ações de todo o país.

Como ajudar: http://www.bicharia.com.br/


Conhece mais alguma ONG ou projeto de ajuda a animais abandonados? Poste aqui nos comentários!

 

2 Comments

  1. Bianca

    24 de julho de 2017 at 23:28

    Existe a página http://www.facebook.com/euadotors e grupos do facebook também

  2. Júlia Fleck

    26 de julho de 2017 at 09:00

    Boa, Bianca! Obrigada pela dica 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *