Por aí

5 trilhas para fazer no RS

Escrito por  | 

Ficar em meio à natureza é uma delícia: recarrega as energias e deixa aquela sensação de bem-estar. As trilhas são uma ótima opção para quem deseja fazer exercícios e entrar em contato com o meio ambiente. Listamos abaixo 5 trilhas lindas localizadas no Rio Grande do Sul:

***

Trilha do Rio do Boi

Localizada no em Praia Grande/SC, esta trilha fica no Canyon Itaimbezinho, no Parque Nacional Aparados da Serra. A caminhada é feita dentro da fenda do Itaimbé e no leito do Rio do Boi. Na trilha pode-se observar a transição da Mata Atlântica e Nebular em seus vários estágio de regeneração, além do despencar das cachoeiras e suas piscinas de águas límpidas e naturais. É um passeio imperdível e emocionante.

A trilha inicia no Posto de Fiscalização do Parque Nacional Aparados da Serra e pode ser percorrida até a Cachoeira Grande. O percurso de ida e volta é de 8.343,10 metros. O grau de dificuldade é considerado alto, pois a maior parte da caminhada é feita nas pedras que margeiam o rio e cobrem seu leito.

O tempo médio da trilha varia de 5 a 8 horas, contadas as paradas para banho, observação e caminhada de volta. Para percorrer o caminho é obrigatória a contratação de guias credenciados ao ICMBio.

Curiosidade: a origem do nome Rio do Boi surgiu no tempo das tropas que desciam os campos de cima da serra abrindo caminho montanha abaixo, pelas íngremes escarpas da serra geral. Diz a lenda que em uma das ‘tropeadas’ um boi se desgarrou da tropa e caiu no penhasco que culminava no rio de pedras que cortava a montanha.

Com informações do Portal de Turismo Praia Grande

 

Trilha do Rio Caí

A trilha do Rio Caí fica no Parque da Ferradura, em Gramado, uma reserva natural com diversos caminhos diferentes e uma surpreendente vista para o cânion de 420 metros de profundidade. Essa trilha leva até o fundo do cânion, permitindo que se conheça esse belíssimo ponto turístico de um ângulo especial.

Esse caminho é considerado de nível médio/alto, localizado em um declive de mata fechada. Requer bom condicionamento físico, principalmente na hora de encarar a subida de volta. Prepare-se com roupas e tênis confortáveis, água e protetor solar.

A trilha é auto guiada e tem um percurso médio de 1 hora para descer e, em média, 2 horas para subir. É importante escolher um dia ensolarado, e que também não tenha chovido nos dias anteriores, para que o terreno não esteja tão escorregadio. Vale lembrar que o Parque Vale da Ferradura fecha os seus portões às 17h.

Com informações do blog Dicas Gramado.

 

Parque das 8 Cachoeiras



Localizado em São Francisco de Paula, o Parque das Oito Cachoeiras é um prato cheio para os amantes de trekking. O parque possui cerca de 4 percursos diferentes, com vários níveis de modalidade, e cada um leva a cachoeiras diferentes. As trilhas são muito bem conservadas, com escadas e cordas que facilitam o trabalho de percorrê-las. Manchas amarelas e placas indicam qual caminho seguir.

A maior cachoeira é a das Gêmeas Gigantes, com 98 metros de altura. Também é a mais afastada, a duas horas e meia (dez quilômetros) da sede do parque. A segunda maior cachoeira, do Remanso, tem 75 metros, fica a 900 metros da sede e chega-se nela por uma trilha de dificuldade fácil. Já para chegar à da Ravina, a dois quilômetros da sede, é necessário descer por diversas escadas e andar alguns metros dentro do rio.

A administração do parque entrega um panfleto com mapa, com distâncias e dificuldades dos caminhos. Essas informações também estão bem expostas em cartazes no início das trilhas para cada cachoeira. Pode-se dizer que, das oito localizadas no parque, quatro são de fácil acesso.

Para quem quiser ficar por lá, o parque oferece espaço para camping, além de quartos em pousadas e apartamentos.

Com informações do site oficial do Parque das 8 cachoeiras e do blog A Pé no Mundo

 

Trilha Passo da Ilha (pode ser feita de carro também)


Na região dos Campos de Cima da Serra, no Nordeste do Rio Grande do Sul, estão boa parte dos lugares mais encantadores do estado. Dois deles são Passo da Ilha e Passo do S, pouco conhecidos pela maioria das pessoas.

O Passo da Ilha e Passo do S são passagens pelo Rio Tainhas, onde não há pontes. No passado eram passagens de tropeiros, depois se tornaram também parte das estradas para passagens de carro, por partes do rio bem rasas, em lajeados. É uma trilha geralmente feita de carro, mas também há quem se aventure a pé.

O Passo do S é uma passagem natural sobre o Rio Tainhas, local de grande beleza, praticamente intocado, parte do Parque Estadual do Tainhas, no município de Jaquirana. O percurso que era passagem de tropeiros pelo Rio Tainhas, possui formato de “S”, com 230 metros de travessia pelo leito do rio, com o percurso demarcado por estacas. A área do lajeado que agora dá passagem a carros, estando o rio em seu nível normal, tem uma média de 10 cm de profundidade, mas há pontos com valetas, por isso, o ideal é passar na primeira marcha e bem devagar. A apenas 200 metros rio abaixo, está a belíssima Cachoeira do Passo do S. Uma grande queda d’água com diferentes ângulos e níveis de caída, que junto com os campos e pinheiros de araucária, em seu entorno, forma um cenário espetacular.

Já o Passo da Ilha é uma passagem de carro pelo leito do Rio Tainhas, que no local, faz a divisa natural entre São Francisco de Paula e Cambará do Sul. O local oferece uma paisagem fantástica, com um grande lajeado, pequenas quedas d’água e uma bela ilha, repleta de araucárias, onde funciona o Camping do Passo da Ilha. A passagem pelo leito do rio se dá em duas etapas, de um dos lados até a ilha, depois da ilha até o outro lado, totalizando 250 metros de largura, onde a profundidade média é de 10 cm de água, estando o rio em seu nível normal. A passagem não é indicada após chuvas abundantes.

Com informações do Blog Viagens e Caminhos

 

Trilha Molhada ou Trilha do Campo


A Trilha Molhada fica dentro do Parque das Cascatas, em Lageado Grande, no município de São Francisco de Paula. O parque abriga 54 hectares de natureza bem preservada e uma ótima infraestrutura.

A trilha molhada cruza um rio que passa pelo parque e desemboca em uma linda queda d´água. A indicação é levar sapatos que possam ser molhados. Durante a trilha, há diversos pontos estratégicos para tirar lindas fotos.

No Parque das Cascatas, há também a Trilha da Gralha Azul, considerada de nível fácil e que dura em torno de 1h30, considerando as paradas para fotos.  

Com informações do Blog Pão Dura

1 Comment

  1. Flávia Silva

    19 de Março de 2018 at 18:05

    Olá! Obrigada por compartilha as nossas dicas e dar os devidos créditos. ❤

    O que precisar de dicas sobre a Serra Gaúcha, conte comigo.

    Um forte abraço e muito sucesso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *