Colunistas

Fernanda Nichelle: Últimas Novidades Sobre Melasma

Escrito por  | 

Como já explicado em outros posts, o melasma é uma doença dermatológica crônica que não tem cura, mas pode ser controlada. São manchas escuras que podem aparecer no rosto, pescoço, colo e membros superiores. É comum em mulheres de 30 a 55 anos, mas pode afetar também homens.

melasma

No ano passado, conversei com a Dra. Fernanda Nichelle, médica especialista em beleza da Clínica MAC, de Porto Alegre, e com a ajuda dela, publicamos aqui no blog um post sobre o melasma abordando os fatores de risco para a formação do melasma, tratamentos, prevenção e controle da doença. Essa matéria até hoje rende muita procura e muitas perguntas. Foi por isso que retomamos esse assunto, buscando auxiliar os leitores na busca por informações.

Novamente contatamos a Dra. Fernanda Nichelle, que nos trouxe as últimas atualizações e algumas novidades no assunto.

Dr.-Fernanda

Segundo a Dra. Fernanda, o tratamento do melasma continua sendo um desafio para o médico, já que a doença apresenta, muitas vezes, um curso refratário e recorrente, com reaparecimento das manchas após a melhora. Com o maior número de estudos desta patologia, os médicos têm alcançado excelentes resultados com Microagulhamento associado à técnica de Drug Delivery,  medicações via oral e alguns tipos específicos de Laser de baixa energia (Q-Switch). Peelings químicos e cremes clareadores já são tratamentos consagrados nesta área, fazendo parte do arsenal terapêutico.

Microagulhamento associado ao drug delivery tem mostrado excelentes resultados no tratamento do melasma

Microagulhamento associado ao drug delivery tem mostrado excelentes resultados no tratamento do melasma

Ácidos e cremes clareadores à base de hidroquinona, retinóides e corticóides há alguns anos têm sido prescritos por médicos para o tratamento desta patologia. No entanto, há uma tendência da classe médica em substituir a hidroquinona por outros ativos, visto os inúmeros efeitos colaterais que a mesma apresenta se não conduzido o tratamento com o devido acompanhamento médico. Inclusive, este ativo teve seu uso e venda proibidos em diversos países.

A tendência em utilizarmos fotoprotetores orais e vitaminas para o tratamento do melasma virou uma realidade na classe médica. O Polypodium leucotomos, que é um ativo de uma planta da Costa Rica muito eficaz em proteger a pele dos raios ultravioletas, além de ser um agente anti-inflamatório, que protege do dano celular e tem propriedades calmantes, faz parte no arsenal terapêutico contra esta doença.

polypodium-leucotomos

Polypodium Leucotomos, ativo de planta da Costa Rica

O Pycnogenol, Luteína, Licopeno e outros antioxidantes também seguem sendo prescritos para auxiliar na manutenção do cuidado com a doença.

O ácido tranexâmico, ativo que bloqueia a conversão do plasminogênio em plasmina, substância que causa a hiperpigmentação do melasma, inibindo sua formação e evitando a formação de agentes inflamatórios que causam estímulo negativo ao melanócito, consagrou-se neste tipo de tratamento. Esta substância é usada via oral, em injeções intradérmicas, em cremes para uso tópico e, mais recentemente, tem sido o queridinho dos Dermatologistas como ativo principal na técnica de Drug Delivery (após procedimentos que viabilizem a entrega de medicações diretamente na camada mais profunda da pele). A vitamina C também tem expressiva importância quando trata-se de prevenção da doença.

É de EXTREMA importância que esta medicação seja prescrita e usada apenas sob orientação MÉDICA, visto que a medicação em questão pode desencadear problemas sérios de saúde, principalmente nas mulheres usuárias de anticoncepcional.

Na minha experiência clínica, o sucesso no tratamento do Melasma se dá através da “educação do paciente” pelo médico, associada à expertise médica na tratamento desta doença.

Costumo dizer aos meus pacientes portadores desta patologia que o Melasma, assim como a Hipertensão, o Diabetes e outras patologias crônicas depende de uma manutenção, além, é claro, de um excelente tratamento para manter a doença controlada. A chave para o sucesso do tratamento está em uma boa conversa com o seu Médico, que certamente encontrará um tratamento específico para você. E mais do que isto: te ensinará a lidar com a sua doença e tenho certeza que, juntos, vocês vencerão esta batalha.


Dra. Fernanda Nichelle
Médica
CRM/RS: 36.168 CRM/SP: 154.072

 

1 Comment

  1. Dalva

    12 de setembro de 2017 at 21:25

    Foi de grande ajuda as informações desta matéria, porque tenho melasma e é muito complicado e trabalhoso…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *