Beleza

Carlos Eduardo Tagliari: Prótese de Mama

Escrito por  | 

Prótese de Mama: devo colocar por cima ou por baixo do músculo?

Uma das cirurgias mais realizadas hoje no Brasil é o implante de silicone nos seios. A evolução da qualidade das próteses, o aperfeiçoamento das técnicas, a recuperação pós-operatória cada vez mais rápida e os resultados estéticos de qualidade contribuíram para alavancar essa cirurgia.

A prótese de mama é um assunto longo que deve ser sempre muito bem explorado durante uma consulta. Na conversa procura-se orientar sobre o material e o procedimento, bem como avaliar as medidas anatômicas da paciente, tipo de pele, desejo pessoal, entre outros fatores.

Uma dúvida frequente é quanto ao posicionamento da prótese. Este pode ser Subglandular (abaixo da glândula mamária) ou Dual Plane (coberta superiormente pelo músculo e pela glândula em sua porção inferior). As duas técnicas podem ser feitas pela mesma incisão na pele.

dual-plane
A técnica Dual Plane é utilizada para pacientes que apresentam, na região do colo mamário, uma pele fina, com pouca gordura. Nestes casos, utiliza-se o músculo para cobrir melhor a prótese, trazendo grandes benefícios a longo prazo, como a não palpação e/ou visualização das bordas da próteses, diminuição do risco de contratura capsular e a não interferência com os exames de imagem da mama, como Ultrassom e Mamografia.

Já na técnica Subglandular, a principal indicação é quando a paciente apresenta colo mamário espesso, em que precisa-se projetar ou definir melhor o contorno da mama.  Atualmente, pelos resultados obtidos e, especialmente, pela diminuição das complicações a longo prazo, tem-se optado cada vez mais pela técnica Dual Plane, em que é possível conseguir uma ótima projeção da mama, sem tirar a naturalidade do resultado.

Procure sempre esclarecer todas as suas dúvidas antes de um procedimento e opte, sempre em acordo com o seu Cirurgião, por tamanhos de próteses compatíveis com sua anatomia. Isso trará excelentes resultados e satisfação pessoal.

Um abraço e até a próxima coluna!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *